Encontre Aqui o seu
Filhote


PARA CADASTRAR SEU
FILHOTE,BOTÃO ABAIXO.





Bull Terrier

atividade :

inteligencia :

curiosidade :

afetuosidade :

tamanho :

necessidade de exercicio :

sociavel com outos caes :

funcao guarda :


História

O aparecimento do “gladiador da raça canina” remonta a 1830, altura em que foi cruzado um Bulldog com um Old English Terrier, dos quais herdou, para além da influência genética, o nome: Bull Terrier. Sabe-se que posteriormente a raça foi apurada com o contributo de outras linhagens, mas não existe uma opinião unânime em relação a estas. Sugere-se o Dálmata, o Pointer Espanhol, o Greyhound e o Foxhound.

Esta estirpe foi inicialmente utilizada para a luta de touros (bull bating) que foi proibida na Inglaterra, por volta de 1835. Os Bull Terriers passaram a participar nas lutas de cães, altura em que a sua reputação atingiu o auge, já que se dizia que eram capazes de morrer na arena só para agradar o seu dono. Quando este “desporto” foi proibido, a raça passou a estar confinada aos ringues de exposição, sendo ainda utilizada como cão de guarda, caçadores de ratos e guardador de rebanhos.

O primeiro clube da raça surge em 1887 e, no ano seguinte, é publicado o primeiro standard da raça. Em 1895, os Bull Terrier são reconhecidos pelo Kennel Club americano.

Em 1860, começa a ser apurada uma nova variante desta estirpe - os Bull Terrier brancos - provavelmente resultado do cruzamento com um English Terrier brancos. Os créditos de tal desenvolvimento ficam a dever-se a James Hinks que, em Birmingham, se empenhou na obtenção de uma espécie mais atraente.

Rompendo com a alcunha de “gladiadores”, estes cães passaram a ser conhecidos por “Cavaleiros Brancos” dado o seu perfil gentil e aparência nobre. Esta variante acabou por prevalecer em relação à versão colorida, dominando os ringues de exposição, no séc. XIX.

Todavia, começaram a surgir problemas de saúde nas variantes brancas (por exemplo a surdez e o albinismo), o que motivou alguns criadores a desenvolver linhas de criação coloridas, por forma a superar estes constrangimentos. Ted Lyon é um dos nomes geralmente associados a este feito.

Neste contexto, no início do séc. XX, o Bull Terrier é cruzado um Staffordshire Bull Terrier mas, só em 1936, é que foi reconhecida pelo Kennel Club americano como uma variedade distinta. Existe ainda uma outra variedade - o Bull Terrier Miniatura - que se diz ter sido criada para ajudar o seu parente maior na caça aos ratos. Esta variante foi reconhecida pelo Kennel Club britânico em 1939. Atualmente, esta raça goza de elevado prestígio, sendo representada por clubes de todo o mundo.

Descrição

O Bull Terrier é um cão de porte médio, sem limites definidos, minímos ou máximos, quer para peso como para altura.

A sua pelagem  é curta, dura e brilhante e as cores permitidas são o branco (que pode apresentar manchas pretas ou tigradas na cabeça) tigrado, ruivo e preto unicolor e tricolor.

A sua cabeça é comprida e oval, sem chanfro demarcado, e apresenta-se curva até à extremidade do nariz. Os olhos são pequenos, escuros, dispostos obliquamente e triangulares, de expressão viva e inteligente. As orelhas são pequenas e triangulares, assumindo sempre uma posição ereta como se estivesse sempre alerta. O pescoço é longo, entroncado e os ombros são musculosos. O corpo tem a forma de barril e é maciço. Os membros são curtos, sendo os anteriores verticais e os posteriores musculosos e com quartos a direito. As patas são redondas e compactas e a cauda é curta e mantida na horizontal.

Temperamento

O Bull Terrier é hoje um animal de estimação fiel e devoto ao seu dono. Não aprecia ser deixado sozinho e, tal como em muitas outras raças, a ansiedade sentida manifesta-se nos objetos destruidos.

A sua fina inteligência aliada à sua forte personalidade (por vezes um pouco obstinada) leva a que estes cães não sejam aconselhados a donos sem experiência. Na verdade, eles necessitam ser educados desde pequenos pelo membro dominante da família, por forma a serem totalmente inseridos, caso contrário, podem desenvolver comportamentos que não são típicos da raça. A relação que desenvolvem com as crianças é boa, se estas o respeitarem. O Bull Terrier é ainda um ótimo cão de guarda.

Saúde e Higiene

A esperança média de vida destes cães pode atingir os 15 anos e são considerados geralmente saudáveis. A surdez é infelizmente um problema que ocorre com alguma frequência. Com menor ocorrência registam-se problemas de coração, luxações da patella e problemas de coluna

A manutenção do seu pêlo é uma tarefa simples que deve ser realizada uma ou duas vezes por semana.

A prática diária de exercício físico é muito importante que seja respeitada por forma a sentirem-se bem física e psicologicamente. Uma a duas horas por dia é o tempo médio aconselhável.

Estes animais preferem climas moderados a quentes e adaptam-se bem a viver em espaços menos amplos. São ainda bons apreciadores dos petiscos, o que torna necessária alguma vigilância ao seu peso.

Curiosidade: Este “gladiador da raça canina” teve um doce momento de estrelato quando representou um papel no filme “Babe - um porquinho atrapalhado na cidade”.

 

Poodle

macho
24-02-2016
R$ 1,200.00



Login Facebook
Dúvidas, informações ou sugestões entre em contato pelo e-mail: bolsadefilhotes@webpeople.com.br
Desenvolvido por Web-People